Procurar
Procurar

Economia para os Autônomos

Muitas pessoas avaliam apenas o lado positivo de ser um profissional autônomo, porém, não imaginam os obstáculos enfrentados pelo setor. Apesar dos privilégios, como horários flexíveis e ausência de um chefe, por exemplo, não são somente vantagens que esses especialistas encontram.

Quando se trata da parte financeira, os desafios são ainda maiores: a variação dos ganhos mensais, a irregularidade nas datas de entrada de pagamentos e a falta de alguns dos benefícios da vida assalariada (décimo terceiro salário, férias remuneradas e participação dos lucros) são questões que geram inseguranças entre os profissionais. 

Mas como saber quanto posso gastar com compras e lazer sem comprometer o pagamento das contas mensais? Como me organizar para ter uma reserva mensal mesmo com a variação de ganhos no mês? 

Se você busca respostas para as perguntas listadas acima, fique até o final! Separamos abaixo 4 dicas que podem te ajudar a gerenciar suas finanças, mesmo sendo autônomo!

1. Esteja pronto para as despesas a curto prazo:

Para uma melhor gestão financeira é necessário que os profissionais autônomos se organizem para gastos de curto, médio e longo prazo, além de possuir conhecimento sobre os valores gastos mensal e anualmente. 

Separe todas as despesas mensais fixas que não tenham variáveis como, por exemplo: internet, aluguel, condomínio, plano de saúde, prestação do carro, etc. Os que também são mensais, porém, contam com variações nos valores, como contas de água, luz, gás, supermercado, combustível, pedágios e até mesmo lazer, devem estabelecer uma média mensal de acordo com os gastos que tiveram em cada um deles nos últimos três meses. 

Ao fim do período de controle, você terá uma boa noção de qual é o seu custo de vida médio ao mês, entre gastos fixos e variáveis. Após realizar essa separação, faça os cálculos, e você saberá qual é a sua necessidade financeira a curto prazo.

2. Despesas Anuais:

Todo ano temos um certo período que realizamos alguns pagamentos/gastos fixos como, por exemplo: IPTU, IPVA, contabilidade, compras em datas festivas e até mesmo viagens de férias. Para que nenhuma dessas despesas te peguem de surpresa, você precisa ter um fundo de reservas, que pode te salvar quando o ganho mensal não for suficiente para cobrir sua demanda total. O ideal é que não seja determinado um valor fixo ao fundo, que seja estipulado apenas um valor mínimo, e nos meses em que seus ganhos forem maiores você pode destinar uma verba mais relevante para essa reserva. 

Isso é fundamental para qualquer profissional autônomo, afinal, dependendo das circunstâncias você pode passar até alguns meses sem receber o suficiente.

3. Pensando na Velhice:

Como estamos falando de planejamento e de ter uma reserva financeira, programe-se para começar a separar parte dos seus ganhos mensais para isso. Alguns optam pelo pagamento de aposentadorias privadas, outros se contentam com o pagamento das cotas do INSS e existem os que preferem pagar fundos de reserva mais vantajosos.

Independente de qual você escolher, o importante é investir continuamente pensando no amanhã. Inclua esse investimento na cota das despesas mensais fixas e priorize-o, mesmo nos meses em que essa despesa tenha que ser coberta por seu fundo de reserva. Afinal, não conhecemos o amanhã e precisamos estar sempre resguardados!

4. Não perca o controle:

Autônomos precisam do máximo de cuidado ao se comprometerem com compras de longo prazo. Antes de financiar um carro ou casa nova, por exemplo, avalie sua média de ganhos mensais, considere os últimos dois anos para isso, e responda honestamente à seguinte pergunta: você pode arcar com essa dívida mesmo que sua renda mensal caia por um período relativamente longo? Lembre-se que você não deve sacrificar seu fundo de reservas com isso, senão o gasto passa a ser fixo e não mais variável.

Outra dica para não perder o controle das suas finanças é monitorar suas despesas continuamente. O uso de um sistema de controle financeiro deve ser parte da sua rotina diária, pois só assim você conseguirá entender realmente se está havendo um aumento nas despesas fixas, se pode ou não ampliar seu padrão de vida e até mesmo se precisa procurar novas alternativas para melhorar seus ganhos.

Sendo assim, com planejamento, controle de gastos e reserva financeira, você otimizará de maneira apropriada suas finanças e trará segurança e tranquilidade para seus gastos.

Gostou das dicas? Aproveite-as para aperfeiçoar sua gestão e melhorar a sua qualidade de vida!