Procurar
Procurar

O papel do design na consciência do cliente

O nível de consciência é uma metodologia criada por Eugene Schwartz, que busca compreender o modo como a nossa mente funciona durante o processo de compra. Desta forma, conseguimos produzir um conteúdo relevante capaz de conduzir o consumidor à sua empresa, determinando os níveis de conhecimento que este cliente tem do seu produto ou serviço. 

Comunicar-se bem com o seu público é fundamental para que a compra aconteça, os níveis de consciência são utilizados para orientar isso da melhor forma, anúncios e conteúdos atrativos servem para conduzir esse cliente de um nível a outro. Anunciar o seu produto apenas para os clientes que já conhecem sua marca, por exemplo, oferece um risco de saturação do mercado, focar naqueles que sequer sabem que precisam do seu produto, é o melhor caminho para aumentar o alcance de suas vendas.

Você sabia que o design contribui para aumentar o nível de consciência do seu cliente? O design não se trata apenas de imagens bonitas, mas sim da comunicação da sua marca com o seu público e em como o seu produto chega até ele. Afinal, o bom design é aquele que gera resultados. É bem mais fácil encontrar empresas que apresentam bons resultados através do investimento em design do que em empresas que negligenciam isso. Se você entende o valor que o design pode agregar ao seu negócio, você sai na frente da concorrência. 

De acordo com Eugene, existem cinco níveis distintos de consciência do cliente, são eles:

Inconsciente: Aquele cliente que não conhece seu produto e nem o problema que ele resolve;

Consciente do problema: O consumidor, que sabe que precisa resolver algum problema mas não sabe como;

Consciente da solução: Aqui o cliente já sabe como resolver o problema. Por exemplo, como se ele já tivesse descoberto que precisa de um curso que o qualifique para aumentar as vendas, mas não sabe qual curso;

Consciente do produto: Quase no fim da jornada, o cliente já sabe que determinado produto resolve seu problema, mas não tem certeza se ele será realmente eficaz;

Mais consciente: Por fim, o consumidor já não tem dúvidas. Ele sabe que precisa comprar o curso e já tomou a decisão.

Mas como converter um desconhecido a cliente, usando o design como ferramenta para construir essa ponte com o seu prospecto? Diferenciando a fala, o visual e o comportamento da sua marca. Se o seu cliente não tem nem ideia de que o seu produto existe por exemplo, esqueça ofertas fortes e rápidas logo no início, abordagens persuasivas e chamativas. Você precisa ganhar a confiança da pessoa desde a estaca zero e tomar atitudes que fortaleçam esse relacionamento a longo prazo.

Tenha um ponto de vista claro, forte e diferente sobre as dores do seu cliente, ofereça uma visão única e pessoal que as pessoas não considerem um clichê, e entendam que seu produto corresponde ao que elas precisam e que podem confiar nele quando descobrirem sobre sua empresa em uma postagem nas redes sociais, em um anúncio, ou ao encontrar seu site por exemplo. A forma como isso é feito muda a impressão que a sua marca passa.

Dessa forma, você pode usar e abusar da criatividade para ganhar a simpatia do prospecto, aperfeiçoando seus anúncios, a identidade da sua empresa, chamando a atenção da forma certa e fazendo-o identificar seu produto como um diferencial no ramo em que atua, seja pela proximidade da sua comunicação, pela forma como aborda as soluções que oferece, por suas redes sociais e muitos outros.

Use marketing de conteúdo, textos, vídeos, postagens bem desenvolvidas para educar seu prospecto sobre os benefícios de seu serviço, e não apenas sobre características e módulos. Seu logotipo, as cores e grafismos utilizados pela sua marca devem ser diferenciados de seus concorrentes, por isso, crie algo novo e inovador, que marque a mente das pessoas. Exemplos disso são a maçã mordida da Apple e a letra M amarela do Mc Donald’s.

Afinal, a identidade da sua empresa, as escolhas de design adequadas a sua marca, existem para torná-la única independente do ramo, conquistando a confiança do seu público através de seus elementos visuais e de comunicação, e não a identificando apenas como uma empresa de destaque na área, mas sim A empresa. Por mais funcional que sejam suas estratégias, quando temos um design com propósito e bem desenvolvido, você oferece uma experiência ao seu cliente, e não apenas uma solução para o problema, isso sim é atrativo. Quando investimos e utilizamos essas ferramentas de forma eficiente, poucas vezes seus clientes sequer irão considerar seus concorrentes.